Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Campanha Salarial do Rádio e TV aberta se encaminha para reta final

Compartilhe:
noticias-campanhasalarial6a

Estava marcada para o dia 30 de novembro a 6ª rodada de negociação da Convenção Coletiva de Trabalho 2017/2018, mas na véspera o sindicato patronal comunicou ao nosso sindicato cancelando a reunião. Porém, informaram também que realizarão uma assembleia entre as empresas, onde tentarão avançar para uma proposta final de acordo. Isto porque pretendem concluir as negociações já neste mês de dezembro.

Nesta mesma oportunidade, o Presidente do nosso Sindicato informou ao coordenador da bancada patronal que espera que a próxima reunião seja marcada o mais breve possível (de preferência, esta semana). Disse também que, se o objetivo é avançar nas negociações, é fundamental que eles compreendam a importância dos nossos principais pontos de reivindicação. Desde a última rodada, foram definidos os seguintes pontos principais que ainda faltariam para um acordo justo:

  • Manter o adicional por tempo de serviço (ATS) ou quinquênio;

    Com uma pesquisa recente, revelamos que mais de 95% das empresas não têm sequer um plano de carreira e remuneração. Portanto, é furado o argumento patronal de querer tirar o adicional por tempo de serviço para pagar adicionais por “mérito”. A maioria das empresas não têm critérios de avaliação de mérito, e na prática querem apenas cortar o adicional ou distribuir por coleguismo e corromper esse direito em moeda de troca.

  • Compto de jornada em externa;

    Este é um ponto muito delicado. Nosso sindicato teve plenárias pontuais com os trabalhadores que praticam jornada em externa. Foi realizado inclusive, por parte dos próprios radialistas, abaixo assinado entregue ao nosso sindicato reafirmando que não aceitemos qualquer acordo que altere a atual CCT no que diz respeito a este ponto. Hoje, a CCT estipula que estes trabalhadores devem se apresentar na sede da empresa e então as equipes de externa fazem seu caminho, contando as horas de trabalho desde a chegada na empresa. A proposta dos patrões é que o profissional de externa tenha que se deslocar por conta própria e sua jornada só seja computada a partir da chegada no local de filmagem, cuja distância pode variar abusivamente e causar um prejuízo de inúmeras horas de trabalho e qualidade de vida.

  • Não podemos segmentar a categoria;

    A proposta de excluir todos os trabalhadores de rádios AM das cláusulas econômicas da CCT é, sem dúvida, uma tentativa absurda dos patrões de dividir os radialistas do RJ. Negar a este grupo, direitos básicos como os reajustes de salário e auxílios, participação nos resultados etc., seria uma brecha para corromper todo o sentido da negociação coletiva. Somos fortes porque estamos juntos, e continuaremos assim.

    Além destes 3, os outros 2 pontos principais ainda não acordados tratam de reivindicações de melhores valores percentuais para as cláusulas financeiras de Abono/PL e Reajuste Salarial:

  • Manter o abono/participação nos resultados em pelo menos os 45%;
  • Conquistar um reajuste salarial superior a 3%;

 

Até a próxima reunião, quando teremos o resultado da decisão das empresas em assembleia, temos que nos manter firmes, demonstrando nossa insatisfação, e seguir pressionando junto ao nosso sindicato. #SóaLutaNosGarante

Deixe seu comentário:

Minuto² SinRad

Últimas noticias