Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

“E A GREVE DA TUPI?” Programa do Fernando Sérgio Recebe Leonel Querino

Compartilhe:
noticias-fernandosergio

No dia 15 de janeiro, o Presidente Leonel Querino foi convidado ao Programa do Fernando Sérgio, que pode ser assistido na íntegra clicando aqui. Entre muitos assuntos, uma pergunta fundamental foi sobre a situação dos processos judiciais contra a Rádio TUPI. Leia abaixo um resumo dessa conversa:


Em 2016, após sete meses seguidos sem receber o salário, os trabalhadores da Rádio TUPI fizeram uma greve histórica, que dura até hoje.

Recentemente saiu a decisão final da Justiça do Trabalho dizendo que a greve da TUPI é legítima. Desde o início essa foi a posição da justiça. Nessa situação, devem ser consideradas nulas todas as demissões de grevistas feitas de forma irregular pela empresa. Além disso, a lei diz que é preciso pagar todos os salários atrasados dos funcionários, incluindo os meses de duração da greve. Portanto, o movimento continua, ao contrário do que finge a empresa e propagam alguns boatos.
.
Não é a empresa, e sim os trabalhadores que decidem quando começa e quando termina toda greve. E a última assembleia geral, na qual votaram juntos quase todos os radialistas e jornalistas da TUPI, decidiu categoricamente: a greve só termina quando os salários atrasados forem pagos.

A TUPI, que faz parte do grande conglomerado Diários Associados, chegou a vender um prédios no valor de 90 milhões quando já devia aos trabalhadores. Mesmo assim, continua alegando não ter recursos para pagar os salários atrasados. Além de tudo, a empresa vem usando de uma estratégia para quebrar o movimento, cooptando alguns dos funcionários com promessas de pagamento parcelado. Isso não muda os fatos: mesmo que sair ou aderir à greve seja uma decisão individual, o fim do movimento é uma decisão coletiva. A legislação brasileira é bem clara sobre os processos democráticos necessários para isso. Infelizmente, a legislação trabalhista não tem nenhum mecanismo de punição às empresas que não pagam os seus funcionários.

Seguimos na luta em apoio aos trabalhadores da rádio. #PagaTUPI!

Deixe seu comentário:

Minuto² SinRad

Últimas noticias