free fonts free icons

 

Mais uma vez nos reuniremos: sindicatos e trabalhadores da Rádio TUPI, que seguem em greve pelo pagamento dos salários atrasados.
.
O local será o auditório da Igreja Santa Edwiges, começando às 14:00. Além de atualizar sobre os últimos acontecimentos do movimento grevista e a reação dos acionistas e dirigentes da empresa, também serão decididos os próximos passos e ações pelo corpo dos funcionários.
Venha se somar a essa luta.
#VemComSeuSindicato

Manifestação dos Funcionários da TUPI!
A rádio TUPI sempre defendeu o trabalhador. Agora, os trabalhadores da TUPI precisam do seu apoio. Cinco meses de salários atrasados, sem receber dois décimos terceiros (2015 e 2016), INSS e FGTS sem recolhimento. Muitos foram demitidos e ainda não receberam. A greve eclodiu somente após o quarto mês consecutivo sem salário, mas as condições de extrema precariedade já estavam graves.

"Nós, funcionários, mantivemos a TUPI de pé após meses e meses de salários atrasados. Trabalhamos de graça e sempre fizemos rádio com amor, mas nós e nossas famílias precisamos sobreviver", afirma a descrição da página criada na internet como canal oficial do movimento de trabalhadores da TUPI (acesse aqui: www.fb.com/voltatupi ).

Em defesa dos direitos dos trabalhadores da TUPI, manifestação nesta quinta-feira (12/01) entre as dez (10) da manhã e as treze (13) horas, em frente ao Ministério Público do Trabalho, na Avenida Churchill número 94 no Centro do Rio, perto do Consulado Americano.
Como chegar: a partir do Metrô Cinelândia, é só subir a Rua Santa Luzia que já chegou!

Compareça e traga sua família! A família Tupi agradece!
#VoltaTUPI

 

NÃO, A RÁDIO TUPI NÃO FOI VENDIDA.
As negociações seguem avançando, porém existe mais de uma proposta e é extremamente irresponsável divulgar uma notícia baseada em boatos, como fizeram algumas pessoas e sites jornalísticos nos últimos dias - inclusive o nosso. Lamentamos muito por este erro. Um equívoco que resultou em falha na comunicação entre alguns diretores e a equipe de mídia e notícias do nosso sindicato. Portanto, vamos deixar bem claro o que está acontecendo:

Estamos em greve pelo pagamento de salários atrasados de todos os funcionários da Rádio Tupi, e não para "escolher patrão". O objetivo da greve não é a venda da emissora ou não. Acontece que, ao longo do processo de greve, fomos procurados por sócios minoritários da rádio que apresentaram condições financeiras de pagar estas dívidas e estavam interessadas em comprar as ações majoritárias da Tupi (especificamente do grupo "Diários Associados", dono da emissora). Uma dessas pessoas foi sim o empresário Paulo Abreu (cuja negociação está em andamento, mas ainda não possui nenhuma garantia), porém há outras propostas de terceiros interessados na compra, e até donos atuais dispostos a tentar resolver o problema. NENHUM PAPEL FOI ASSINADO AINDA.

A ansiedade de quase 200 famílias esperando uma resposta que garanta seu futuro, que devolva seus salários para poder pagar suas contas, está impregnada em nós, que acompanhamos tão de perto essa luta. Essa conexão nos dá força para continuar na luta, que tem avançado muito, mas todos precisamos ter cuidado para não sermos levados por qualquer fragilidade, e nos manter firmes e céticos!
A situação da Tupi só ganhou visibilidade por causa da força dessa
s centenas de trabalhadoras e trabalhadores, e está até levando jornalistas a descerem ao nível do boato para tentar ganhar um "furo" de reportagem. Mas tenha certeza: qualquer movimentação de compra ou venda da Tupi será informada aqui e estaremos mais atentos do que nunca para trazer informações verdadeiras.
Caso você, que acompanha nosso site e nossas redes sociais, tenha passado a diante a informação errada de que a rádio foi vendida, por favor nos ajude a minimizar esse dano avisando a seus colegas que foi tudo um grande boato.

Mais uma vez, reiteramos: esta greve não é pela venda da rádio nem nunca foi. E enquanto não forem pagos integralmente os trabalhadores e as trabalhadoras às quais a Rádio Tupi está em dívida há tanto tempo, NOSSA LUTA CONTINUA!

 

Matriz:

Rua Leandro Martins, 10 - 5° andar e 12° andar -
Centro - RJ - Cep: 20080-070
Telefones: (21) 2253-8903/ 2253-8914/
               (21) 2253-8952/ 2516-0268

Subsedes:

Jacarepaguá
Estrada dos Bandeirantes, 6.471
Curicica – Jacarepaguá (em frente ao Projac)

Telefones: 3734-7210

Campos
Rua Doutor Lacerda Sobrinho nº 132 loja 03
Centro - Campos dos Goitacazes -RJ

Telefone : (22) 2720-2551